Arrancou a segunda fase da recuperação do património móvel de Óbidos

Protocolo entre o Instituto Politécnico de Tomar e a Câmara Municipal de Óbidos

195

Arrancou, no dia 14 de Novembro, a segunda fase da recuperação do património móvel de Óbidos, ao abrigo do protocolo celebrado entre o Instituto Politécnico de Tomar e a Câmara Municipal de Óbidos.

Numa primeira fase, avançou-se com uma intervenção de conservação e restauro ao quadro “Lamentação de Cristo Morto” de Josefa d’Óbidos, propriedade da Paróquia de Óbidos, presente na capela de Santo António na A-da-Gorda, inserido no trabalho de mestrado de Verónica Ribeiro, sob a coordenação de Carla Rego, Teresa Desterro e Sérgio Gorjão, que terminou com a apresentação da intervenção, no dia 19 de Maio de 2017, na Capela da A-da-Gorda.

Nesta segunda fase, tendo em conta a acervo presente no Museu Municipal de Óbidos, grande parte em depósito e propriedade das Paróquias de Óbidos e da Santa Casa de Misericórdia de Óbidos, foram selecionadas as pinturas a óleo sobre madeira do antigo retábulo da Capela de São Vicente, atual Museu Paroquial de Óbidos, conhecidos como “Painéis de São Vicente”, da oficina de Garcia Fernandes (c. 1540-1550), propriedade da Santa Casa da Misericórdia de Óbidos.

As obras serão alvo de um processo de conservação a fim de se estabilizar o conjunto, onde, entre outras tarefas, se pretende a fixação da camada cromática e a ligação e consolidação das tábuas, procurando evitar os efeitos das amplitudes termohigrométricas a que normalmente estão sujeitas.

Serão intervencionadas em contexto académico, na unidade curricular de CR Aplicada, do Mestrado em Conservação e Restauro do Politécnico de Tomar, na especialidade de pintura sobre madeira, ministrada pela docente Carla Rego.

Press Release (pdf)