Academia deCode arranca com duas dezenas e meia de ‘criadores do futuro’

Apresentação da terceira edição

193

Duas dezenas e meia de crianças e jovens dos concelhos de Caldas da Rainha e Óbidos participam, este ano, no deCode – Academia de Programação e Robótica, com início na próxima semana, no Parque Tecnológico de Óbidos.

O projeto, liderado pelo Parque Tecnológico e pelo Município de Óbidos, em parceria com o Agrupamento de Escolas Josefa de Óbidos, é uma iniciativa educativa que tem como objetivo reforçar o ensino de temáticas focadas nos ‘empregos do futuro’, potenciando, ao mesmo tempo, o desenvolvimento de competências e a aquisição de conhecimentos transversais a disciplinas como a Matemática, a Físico-Química, a Eletrónica, ou a Mecânica.

“Com a transformação da economia, urge preparar o melhor possível as nossas crianças e os nossos jovens para uma nova realidade, altamente digital e tecnológica. O deCode tem justamente essa missão”, referiu Miguel Silvestre, diretor executivo do Parque Tecnológico de Óbidos, na sessão de lançamento da 3ª edição do projeto, esta terça-feira, 23 de Janeiro.

As sessões da academia decorrem às terças e quartas-feiras e contam com alunos dos 1º, 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico e do Ensino Secundário.

“Com as crianças do 1º CEB o que se pretende é que fiquem com uma ideia básica do que é a Programação”, e que “tenham algum contacto com esta linguagem”. “Vão usar o robot Dash, a grande novidade deste ano do deCode”, que vai executar as tarefas que os alunos determinarem, explica o formador André Silva.

“Tentamos sempre inovar”, refere Henrique Fidalgo, formador para os restantes níveis de ensino. Depois de uma introdução às linguagens da Programação, na primeira edição, e da introdução da Robótica, na segunda, este ano todos os alunos vão construir uma máquina ou um robot de raiz. “A ideia é que peguem não num kit pré-montado, mas que possam imaginar uma máquina – útil para alguma tarefa que tenham no seu dia a dia – e que a possam construir”.

Para Henrique Fidalgo, esta é, sem dúvida, uma oportunidade de aprendizagem, com impacto na caminhada de aquisição de conhecimento de cada um destes alunos. “Com o 1º CEB tentamos que [a abordagem] seja um pouco por meio da brincadeira, mas através dela estamos a tratar de algo muito sério que é o seu raciocínio lógico”. Já os alunos do 2º e 3º CEB e do ensino secundário vão ter acesso à linguagem de programação que é utilizada a nível empresarial ou industrial.

Quando chegarem a um curso superior, já saberão programar, já conhecem “a sintaxe de uma linguagem que é mãe de muitas outras, por isso vai ser mais fácil a sua própria integração no curso de Engenharia Informática, Engenharia Eletrotécnica, Robótica, ou noutro dentro da área da Computação Física”, conclui.

Recorde-se que Óbidos assumiu o pioneirismo no ensino da Programação para crianças e jovens através do projeto deCode que soma já, nas suas três edições, mais de duas centenas de participantes.

Press Release (pdf)