“Precisamos de todos os obidenses como parceiros”

Apresentação do Programa Municipal “Óbidos + Ativo”

619

Foi apresentado ontem, 5 de Março, nas Piscinas Municipais de Óbidos, o programa municipal “Óbidos + Ativo”. Um programa do novo pelouro “Saúde e Bem-estar”, liderado pela vereadora Margarida Reis, e que pretende ser “dinâmico, aberto a sugestões e com uma visão partilhada”, revelou.

O “Óbidos + Ativo” está dividido em 16 medidas, que abarcam os três eixos do programa: Óbidos Movimento, Óbidos Nutrição e Óbidos Saúde. Partindo do Perfil de Saúde do concelho, elaborado pelo Centro de Saúde de Óbidos, e da frequência da prática desportiva dos obidenses, foram desenhadas medidas para que, em 2030, haja uma melhoria significativa na Saúde e Bem-Estar da população.

Para o presidente da Câmara Municipal de Óbidos, “este programa insere-se numa estratégia mais global, a que demos o nome de Óbidos ID”. “É uma agenda inovadora, mas, e acima de tudo, articulada com a comunidade”, revelou Humberto Marques, para quem o programa Óbidos + Ativo “é uma espécie de cimento de toda esta estratégia”. O autarca declarou ainda que “gostaria de reduzir em 20 por cento os problemas da área da Saúde que atingem o concelho, até 2030”.

Um número que, de acordo com Fátima Pais, médica coordenadora do Centro de Saúde de Óbidos, “será um desafio”. “Essa meta vai ficar registada, mas vamos ver o que podemos fazer”, revelou, garantindo que é importante “ir monitorizando estes indicadores ao longo dos próximos anos”.

Segundo a vereadora responsável, “este é um programa que foi feito a pensar na nossa comunidade”, sendo “altamente transversal”. Margarida Reis diz que precisa “de todos os obidenses como parceiros”. “Estamos motivados e somos ambiciosos e, por isso, esta equipa conta com todos”, conclui.

Programa “Óbidos + Ativo”: medidas

1. Gabinete Óbidos + Ativo
2. Desporto para todos
3. POCOB – programa Óbidos contra a obesidade
4. Escola Saudável
5. Saúde +
6. Desafia – Centro de Desporto e Atividade Física Adaptada
7. Espaço com Vivências – Sala Snoezelen
8. Academia Sénior de Saúde e Bem-Estar
9. Caminhos Com Saúde – Unidade Móvel da Saúde e Bem-Estar
10. Turismo Desportivo
11. Rotas e Trilhos – BTT, corrida e caminhadas
12. Freguesias em Movimento
13. Afetos
14. Infraestruturas
15. Plano De Formação
16. SBO Digital – Saúde e Bem-Estar

Perfil de Saúde do Concelho de Óbidos

O concelho de Óbidos apresenta uma população significativamente mais envelhecida relativamente aos valores nacionais e uma das mais envelhecidas da Região Oeste Norte, apontando para um aumento particularmente importante da população idosa relativamente à população jovem. Como resultado, o índice de dependência total tem vindo a aumentar (58,9% em 2016).

As principais causas de morte da população do ACeS Oeste Norte (2012-14) foram as doenças cardiovasculares (32%), tumores malignos (22%), doenças respiratórias (12%) e a diabetes, doenças endócrinas e metabólicas (7%). O Grupo de outras causas responsável por 21% da mortalidade incluí lesões externas, envenenamento, acidentes, quedas, suicídios e homicídios.

Óbidos apresenta uma proporção (%) de diagnósticos ativos de diabetes, hipertensão arterial e incidência cumulativa de tuberculose, com níveis elevados (2014-2016).

Óbidos não foge à regra quanto ao que acontece em Portugal em relação à Obesidade Infantil (31% raparigas; 25% rapazes): uma em cada quatro crianças tem excesso de peso.

Com vista à identificação, prevenção e controlo da obesidade na população em geral, é apresentado um programa de intervenção, fornecendo gratuitamente consultas especializadas de nutrição/encaminha­mento para especialistas noutras áreas da saúde e aconselhamento de atividade física.

A área da Saúde Mental é enumerada como uma das maiores prioridades. Este programa pretende reforçar com equipas multidisciplinares o acompanhamento a doentes com patologias psiquiátricas e suas famílias, garantindo terapêutica e promoção de bem-estar.

Quanto aos “estilos de vida dos alunos do ensino secundário” (num estudo realizado em 2016, numa amostra de 51 alunos), registam-se os seguintes valores: experimentação de tabaco – rapazes 23,5% e raparigas 35,3%; experimentação de álcool – rapazes 88,2% e raparigas 85,3%.

Os hábitos tabágicos são um determinante de saúde que está associado ao desenvolvimento de diversas patologias sendo responsáveis por uma carga importante de mortalidade.

Fonte: Portugal. Unidade de Saúde Pública Zé Povinho – ACeS Oeste Norte. Região Oeste Norte – Perfil de Saúde 2017.

Brochura (pdf)
Press Release (pdf)