“Queremos uma vila bonita, mas com História e conhecimento”

Assinatura do auto de consignação da recuperação das muralhas

386

A obra de recuperação das muralhas de Óbidos vai avançar nos próximos dias, depois da cerimónia de consignação, que decorreu este sábado, dia 10 de Março. Os trabalhos foram adjudicados à empresa Augusto de Oliveira Ferreira & Cia, Lda pelo valor de 837 mil euros e terá um prazo de execução de um ano, a partir desta data.

O presidente da Câmara Municipal de Óbidos explica que esta obra se “insere dentro de uma estratégia global do Município, a que se deu o nome de Óbidos ID”. Humberto Marques garante que “o Património é um eixo fundamental desta estratégia”, sublinhando que, “cada vez mais, é esse património que, numa economia global, nos permitir ter uma maior internacionalização”. O autarca revelou ainda que “a preservação do Património tem marcado estes últimos tempos, em Óbidos”, acrescentando que o objetivo é ter “uma vila bonita, mas com História e conhecimento”.

Humberto Marques revelou que o processo para se avançar com estas obras, que têm financiamento comunitário, “foi particularmente difícil”. “Havia muito pouco dinheiro e a ‘Europa’ tinha colocado como exigência fazer uma ordem de prioridades para os monumentos [da Região Centro]”, explica, garantindo que, “não sendo o Castelo de Óbidos gerido pelo Município, foi muito difícil colocá-lo como uma prioridade”. “Foi necessário muito esforço da nossa parte e esta chancela da UNESCO [Óbidos Cidade da Literatura] reforçou a nossa capacidade negocial”, concluiu.

Por seu lado, o presidente da Assembleia Municipal entende que a consignação da obra de recuperação das muralhas “é de importância fundamental”. “Esta obra é possível porque Óbidos tem executado, tem feito trabalho”, declarou Fernando Jorge, garantindo que “Óbidos não pára”.

Recorde-se que esta empreitada vai fazer a recuperação das muralhas de Óbidos e de outros conjuntos patrimoniais da vila de Óbidos, nomeadamente:

Porta da Vila – tratamento de fissuras e infiltrações em elementos estruturais e conservação e restauro de património integrado: azulejaria, pintura mural, pedra, ferros e talha
Igreja de Santa Maria – Conservação preventiva, curativa e restauro do portal, o qual se encontra em avançado estado de degradação por ação dos elementos e por fragilidade intrínseca dos materiais pétreos
Porta da Senhora da Graça – Tratamento de fissuras e infiltrações em elementos estruturais, restauro da cobertura da capela e conservação preventiva (limpeza) de património integrado
Postigo de Baixo – Avaliar a origem das patologias e deformações da muralha, considerando a extensão das fissuras e os seus desenvolvimentos nos últimos anos
Muralha – Regularização do topo dos muros da muralha (adarve ou caminho de ronda), regularização dos paramentos verticais da muralha em zonas onde se identifiquem deficiências construtivas e lacunas de materiais pétreos e argamassas e tratamento de fissuras em escadas de acesso.
Miradouro da Pousada (Largo Coronel Freitas Garcia) – Regularização do muro de suporte
Torre do Facho – Regularização dos paramentos verticais da muralha em zonas onde se identifique lacunas de materiais pétreos e argamassas
Limpeza de vegetação e infestantes na muralha e castelo, e no respetivo entorno, numa faixa de 5 m em relação à face do paramento
Estruturas de Iluminação pública – Reparação dos candeeiros e respetivos braços de suporte em ferro, bem como dos sistemas elétricos associados aos mesmos.

Press Release (pdf)