Maria João Koehler tenta recuperar confiança

2.º Obidos Ladies Open

177

Nenhuma portuguesa logrou qualificar-se para os oitavos de final do 2.º Obidos Ladies Open, o torneio da Federação Internacional de Ténis (ITF), a contar para o ranking mundial (WTA), de 25 mil dólares em prémios monetários, cuja primeira ronda terminou ontem (quarta-feira) na Bom Sucesso Tennis Academy.

Três portuguesas figuravam no quadro principal de singulares, graças a wild cards atribuídos pela Federação Portuguesa de Ténis, em colaboração com o diretor de torneio, Nuno Mota, e todas ficaram pelo caminho.

Na terça-feira, Claudia Cianci perdeu com a espanhola Estrella Cabeza Candella, 350.ª no ranking mundial e campeã de 12 títulos internacionais, por 6-3 e 6-3.

Ontem foram afastadas Rita Pinto e Maria João Koehler, jogadoras com estatuto bem distinto. Pinto, de apenas 17 anos, nunca esteve classificada no ranking de singulares, só em pares, e é a atual vice-campeã nacional de sub-18. Procura ainda ganhar experiência internacional e soçobrou diante da alemã Vivian Heisen, de 24 anos, 346.ª no ranking, por 6-2 e 6-0, em uma hora de jogo, num encontro em que houve 17 duplas-faltas!

Pelo contrário, Maria João Koehler (MJK) é provavelmente a segunda melhor tenista portuguesa de sempre, mas hoje em dia surge apenas no 727.º posto do ranking mundial e desde que regressou à competição, após algumas lesões, ainda só venceu dois encontros, tendo perdido oito, em torneios da ITF.

Ontem a ex-hexacampeã nacional caiu frente à 5.ª cabeça de série, a espanhola Olga Saez Larra (259.ª), de 23 anos, por 6-4 e 6-1, em 79 minutos. Foi o terceiro confronto entre ambas e a portuguesa tinha ganhado os dois anteriores, em 2011, sempre em hardcourts. Para a espanhola, apesar de estar agora melhor classificada no ranking, foi uma boa vitória. O primeiro set acabou por revelar-se fundamental dado que a jogadora da seleção nacional da Fed Cup teve hipóteses de vencê-lo.

«Tive ponto para fazer 5-3 no serviço dela, também tive ponto para fazer 5-5 e caiu sempre para o lado dela. Foi um primeiro set muito igualado, ela teve mérito, mas não foi um encontro brilhante por parte de nenhuma de nós. É uma jogadora que também não dá muito ritmo, variou muito o jogo com bolas altas e slices, não me deu a bola confortável. Eu estava um pouquinho mais lenta a ler o jogo e deveria ter sido mais agressiva, deveria ter sido eu a mandar», contou a jogadora que apareceu em Óbidos acompanhada do treinador Vasco Martins do Ace Team.

Vale a pena recordar que a portuense, uma esquerdina de jogo entusiasmante quando fisicamente em forma, esteve às portas do top-100 mundial (102.ª em 2013) e os fãs portugueses vibraram com ela em 2012 e 2013 nos maiores palcos do Mundo, quando mediu forças com estrelas de primeira grandeza como as antigas n.º1 mundiais Kim Clijsters, Jelena Jaknovic e Victoria Azarenka no Open da Austrália e em Wimbledon!

Atualmente, aos 25 anos, depois de várias trocas de treinadores e, sobretudo, demasiadas lesões, MJK tenta recuperar uma carreira que poderá ser ainda muito grande, mas que exige a capacidade de recomeçar quase do zero, com os escassos apoios de que dispõe. Estes torneios em Portugal são uma oportunidade preciosa de somar alguns pontos para o ranking, sem despesas demasiado elevadas, mas depois de perder na fase de qualificação da semana passada foi agora afastada na primeira ronda do quadro principal, para o qual mereceu um convite.

Falta ainda o torneio da próxima semana, o último desta série de três nos courts de relva sintética da Bom Sucesso Tennis Academy e MJK, lúcida, sabe fazer o diagnóstico: «Sinto que ainda me falta ritmo competitivo. Ainda não joguei muitos torneios este ano. Há também uma certa ansiedade inerente à competição, são coisas a trabalhar. Preciso de fazer muitos encontros. É diferente fazer só um por semana ou uns três ou quatro. Há também a questão da confiança, para ser mais corajosa nos pontos importantes e hoje se calhar faltou um pouquinho isso. Senti-me presa, muito descoordenada. Tenho que saber minimizar isso».

O 2.º Obidos Ladies Open prossegue hoje, 19 de Abril, já sem portuguesas em singulares, com o início dos oitavos de final a partir das 10 horas, em três courts.

A campeã do primeiro torneio desta série, a sérvia Ivana Jorovic, oitava cabeça de série esta semana, vai medir forças com a belga An-Sophie Mestach pela segunda semana seguida em Óbidos. Na primeira ronda do torneio anterior bateu-a em dois sets. Jorovic leva seis encontros seguidos a vencer e hoje desfeiteou a ‘qualifier’ francesa Mathilde Armitano por 6-2 e 6-3.