Tecnológicas do Óbidos Parque na Web Summit 2018

Soluções tecnológicas para as áreas do Retalho, Transportes, Logística e Agricultura

196

A menos de duas semanas do arranque em Portugal do maior evento tecnológico mundial, uma nova fase começa para as empresas Agriw – Tech to Grow, MakeWise e Newoxygen. Depois de uma primeira experiência em 2017, as três empresas do Óbidos Parque – Parque Tecnológico de Óbidos preparam-se para voltar a participar na Web Summit, com soluções tecnológicas para as áreas do Retalho, Transportes, Logística e Agricultura.

O regresso, afirmam, valida a importância que reconhecem ao evento, quer pela sua magnitude e projeção, quer pelas oportunidades que potencia.

“Significa o continuar de um trabalho de promoção e divulgação internacional da MakeWise e dos nossos produtos e serviços”, começa por explicar Gonçalo Abreu, Managing Partner da tecnológica. “Os contactos e as oportunidades que surgiram de participações anteriores têm dado frutos, pelo que a avaliação que fazemos é francamente positiva. Logo, faz sentido para nós continuarmos a marcar presença”.

Ricardo Cardoso, CEO da Agriw, que regressa à cimeira com o seu Agrozapp, explica que a edição 2017 – “muito intensa” antes, durante e depois de terminada – “serviu para percebermos o potencial mediático que o Agrozapp pode ter”. “Este ano, com a experiência do ano anterior, vamos tentar tirar o máximo partido da exposição”. E “independentemente da taxa de concretização de contactos, parcerias ou leads, o processo de preparação para o evento é, só por si, muito enriquecedor, ajudando-nos a simplificar, sistematizar e a melhorar a forma como comunicamos habitualmente”.

O que vão promover

À Web Summit, as tecnológicas do parque vão levar, claro está, inovação. “Nós ajudamos as empresas a ganhar mais dinheiro ao automatizarmos operações do dia a dia através de visão por computador e Inteligência Artificial. Vamos estar a fazer demonstrações ao vivo de soluções que desenvolvemos para as áreas de Transportes, Logística e Retalho. Fica o desafio para que nos visitem e experimentem, em primeira mão, o profundo impacto que estas tecnologias têm na vida de uma empresa”, convida Gonçalo Abreu.
A Newoxygen leva também consigo uma solução para a área dos Transportes, a bTransport, e que integra quatro produtos: uma plataforma online que gere uma comunidade de transportadores e seus possíveis clientes, uma app que disponibiliza aos motoristas de transportes internacionais os documentos necessários ao processo de controlo e transporte de mercadorias, um Software de Gestão, e ainda uma aplicação que integra e uniformiza dados dos diferentes operadores de localização de veículos.

Para a Agriw, o foco será comunicar o produto Agrozapp – Plataforma para Agricultura 4.0 baseada em Inteligência Artificial. “Vamos fazer demonstrações para explicar a rapidez e a simplicidade do sistema, e oferecer algumas licenças de utilização para produtores interessados. Estamos também a tentar que o nosso assistente virtual ‘Agrozapp Toscan’ esteja preparado para poder ser utilizado pelo público durante o evento”.

Expectativas altas

As expectativas para este ano são ainda mais elevadas do que em 2017. “O nosso principal objetivo este ano é obter financiamento. Temos produto, temos a validação do mercado, necessitamos de dar o salto.
Temos estado em negociações com investidores nacionais, pelo que a nossa principal expectativa é conseguir arranjar um financiamento conjunto entre uma grande entidade internacional e um investidor nacional”, revela Ricardo Cardoso, da Agriw.
“As expectativas vão aumentando de ano para ano”, diz Gonçalo Abreu, da MakeWise. “Este ano vamos com um maior enfoque nos clientes e parceiros internacionais e temos objetivos bem definidos sobre o que queremos obter da Web Summit. Espero daqui a algum tempo poder dizer que os concretizámos”.
Já a Newoxygen espera conseguir “validar a valência técnica e a viabilidade financeira da solução bTransport junto do mercado, em especial nos países que aderiram à convenção e-CMR”. “Por outro lado, pretendemos apoios e possíveis parceiros na internacionalização do produto”, revela Paulo Sábio, um dos responsáveis da tecnológica.
Mais 10 anos de Web Summit Sobre a permanência futura da Web Summit por Portugal, Gonçalo Abreu afirma: “São mais 10 anos em que vamos ter o mundo da tecnologia a visitar-nos em nossa casa. Penso que é algo muito positivo e que conquistámos – mesmo com concorrência de peso – pelo mérito demonstrado na organização e acolhimento deste evento. Agora temos de aproveitar ao máximo”.
“Um evento deste tipo traz perto de 90 000 pessoas de 160 países a Portugal durante uma semana. Isso é fantástico, quer em termos económicos, quer em termos de montra para as empresas tecnológicas”, afirma Paulo Sábio. “Não é por acaso que Portugal está entre os 30 primeiros países do ranking mundial de desenvolvimento tecnológico. Os sucessivos programas de incentivo à modernização tecnológica lançados pelos últimos governos, assim como a capacidade empreendedora e inovadora das empresas portuguesas, permitiram manter este evento em Portugal por mais uma década. Serão mais 10 anos de sucesso garantido para a Web Summit”.

Participação revela “esforço de inovação”

A Web Summit posiciona-se como o maior e mais importante evento tecnológico a nível mundial e decorre, pelo terceiro ano consecutivo, mesmo aqui ao lado. “É notável voltarmos a ter as nossas empresas na cimeira, o que fica a dever-se tão só ao esforço de inovação que têm demonstrado, e que o Parque tem procurado ajudar, dentro daquilo que é possível”, afirma Miguel Silvestre, diretor executivo do Óbidos Parque.
A Web Summit 2018 decorre de 5 a 8 de novembro, reunindo centenas de empresas, startups de topo e oradores de grande influência e importância como Ev Williams (fundador do Twitter e do Medium), Young Sohn (presidente e CSO da Samsung), Brad Smith (presidente da Microsoft), Ben Silbermann (CEO e Cofundador do Pinterest) ou Tim Berners-Lee, fundador da World Wide Web (WWW).

Press Release (pdf)