Secretário de Estado do Ambiente confirma dragagens na Lagoa de Óbidos sem construção de dique

Lagoa de Óbidos

330

O Secretário de Estado do Ambiente, Paulo Lemos, confirmou, mediante despacho, que a solução para a Lagoa de Óbidos passará apenas pela realização de dragagens do corpo lagunar, ficando assim de lado a opção que passava pela construção de um dique de guiamento.

«Vamos, assim, avançar apenas com a dragagem do corpo lagunar inferior, numa primeira fase, a qual será complementada no próximo quadro comunitário de financiamento com a dragagem do corpo lagunar de montante», afirma o Secretário de Estado. «O abandono da solução de construção do dique prende-se com o facto de não preconizar suficiente garantia de êxito, para além dos impactes paisagísticos da mesma. Estamos, por isso, a optar pela solução que se julga mais eficaz, acautelando ao mesmo tempo as preocupações manifestadas pelos autarcas e populações», sublinha Paulo Lemos.

Para o efeito, vai-se proceder desde já à alteração do projeto, que passará a integrar apenas as ações de dragagem dos canais norte e sul da lagoa e de alguns canais transversais a selecionar pelo Laboratório Nacional de Engenharia Civil, o que implicará um investimento que poderá ascender a seis milhões euros, abaixo da solução inicial (com construção de dique).

A definição de uma solução para a Lagoa de Óbidos constituiu desde sempre uma prioridade para o Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia (MAOTE), promovendo para tal a articulação direta entre a Agência Portuguesa do Ambiente e o Poder Local  para o encontrar da melhor solução e ainda com o QREN-POVT, de forma a assegurar a implementação do projeto ainda na vigência do atual quadro comunitário.

Press Release (Pdf)