Maryna Zanevska regressa aos títulos

1.º Óbidos Ladies Open

150

A belga Maryna Zanevska já esteve às portas do top-100 do ranking mundial e o seu desejo de melhorar a sua classificação levou-a a vir a Portugal e a conquistar no passado domingo, 7 de Abril, o 1.º Obidos Ladies Open, o torneio de 25 mil dólares em prémios monetários (pouco mais de 23 mil euros), organizado pelo Bom Sucesso Resort, com o apoio da Federação Portuguesa de Ténis.

A chuva que fustigou grande parte do torneio levou a organização a concluí-lo nos hardcourts cobertos do Clube de Ténis das Caldas da Rainha, onde também está instalada a Felner Tennis Academy.

Maryna Zanevska, de 25 anos, 227.ª no ranking WTA e quinta cabeça de série, começou por derrotar a checa Barbora Stefkova, a sexta pré-designada, por 3-6, 6-3 e 6-2. Depois, na final, vergou a georgiana Mariam Bolkvadze, de 21 anos, 285.ª da hierarquia mundial e sétima cabeça de série, por 7-5 e 6-2.

Foi uma bonita final entre duas jogadoras agressivas, claramente adaptadas a estes pisos duros e rápidos, com bons serviços, pancadas fortes e chapadas do fundo do court, mas Zanevska fez prevalecer a sua superior agressividade, consistência e experiência.

O momento chave da final foi quando Zanevska perdeu uma vantagem de 5-2 no primeiro set, mas depois, aos 5-5 ganhou dois jogos de rajada para fechar a primeira partida. Ganhou aí um ascendente que não mais perdeu.
«Senti que num dia em que tivemos de fazer dois encontros, o primeiro set seria muito importante», disse a belga nascida na Ucrânia. Mariam Bolkvadze até poderia estar mais fresca, pois resolveu a sua meia-final em apenas dois sets (6-2 e 6-4), frente à britânica Eden Silva, uma jogadora que na última ronda do qualifying derrotou a bicampeã nacional Francisca Jorge. Contudo, o cansaço da georgiana, depois de perder o primeiro set, foi mais psicológico do que físico.


«Estou desde o início do ano a trabalhar com um novo treinador (o belga Geoffroy Vereerstraeten) e as coisas têm-nos corrido bem», comentou Zanevska, que se mudou para a Bélgica aos 15 anos e decidiu passar a representar esse país de adoção. A antiga 105.ª WTA, que em 2017 chegou a ganhar um torneio de 100 mil dólares no Canadá, já tinha sido finalista este ano num evento de 25 mil dólares na Alemanha e conquistou agora o 17.º título internacional da sua carreira.

No torneio de pares, a dupla primeira cabeça de série, das espanholas Cristina Bucsa e Georgina Garcia-Pérez, derrotou na final a britânica Emily Wembley-Smith e a georgiana Sofia Shapatava, as terceiras cabeças de série, por 7-5 e 7-5. «Foi a primeira vez que jogámos juntas e vamos continuar. Ela mostrou-se tímida no início mas depois foi-se soltando», analisou Garcia-Pérez, que era também a primeira cabeça de série em singulares e perdeu nos quartos de final com Zanevska por 6-3 e 6-1.

O 2.º Óbidos Ladies Open começou na passada segunda-feira, 8 de Abril, nos courts de relva sintética da Bom Sucesso Tennis Academy, a partir das 12h00, com a fase de qualificação, na qual estão inscritas as portuguesas Inês Oliveira e Sara Neto.