Município de Óbidos estabelece Protocolos com a Escola Superior de Desporto de Rio Maior e com a ACES OESTE Norte

II Edição do Festival Óbidos + Ativo

166

Inserido na 2ª Edição do Festival Óbidos + Ativo, realizou-se no passado dia 24 de Maio, a outorga de dois Protocolos de Parceria com o objectivo de proporcionar à comunidade Obidense uma maior relação entre a prática desportiva e o bem estar físico e psicológico.

Consciencializar a população para a adoção de estilos de vida mais saudáveis e incentivar à prática da atividade física é o desafio que Óbidos tem enfrentado com o objetivo de mudar o paradigma na saúde, onde se pretende passar de um modelo centrado na doença e no seu tratamento para um modelo centrado na saúde de carácter integrador, referiu Humberto Marques, presidente da CMO, regozijando-se pelas sinergias desenvolvidas entre os profissionais de desporto e os profissionais de saúde de âmbito local e regional que têm sido inexcediveis  no cumprimento de uma agenda comum.

Exemplo disso, a parceria que se estabeleceu com a Escola Superior de Rio Maior, unidade orgânica do Instituto Politécnico de Santarém, onde a cooperação em atividades de formação, investigação e desenvolvimento na área das ciências e desporto, na cooperação entre profissionais, alunos e comunidade. Segundo a Sub-diretora da ESRM, Drª. Teresa Bento, a assinatura deste protocolo é reconhecer a qualificação dos estudantes formados nesta instituição para o exercício de funções técnicas no âmbito do desenvolvimento de atividades desportivas, de recreação e lazer e de turismo ativo, bem como para o exercício de funções de prestação de serviços, formação e investigação no contexto das ciências do desporto, na cooperação de atividades de extensão educativa, cultural e técnica, no trabalho direto com a comunidade, num projeto muito ambicioso, como é o Programa Óbidos + Ativo.

Considerando o Bem-Estar psicológico como um factor preponderante em Saúde, foi protocolado com a ACES Oeste Norte a adesão ao movimento “Cidade dos Afetos”, que pretende chamar para o dia-a-dia das comunidades os afetos como mecanismo fundamental de desenvolvimento. Segundo Dr. Mário Durval, Delegado Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, maior afetividade entre as pessoas diminui a violência, a agressividade gratuita e os conflitos inúteis, promovendo maior urbanidade, coesão social e tolerância, valores essenciais a uma comunidade desenvolvida.