Revolution Hope Imagination passa por Óbidos em Setembro

Curadores, programadores culturais e artistas vindos de várias partes do mundo

167

O Revolution Hope Imagination (RHI) é uma iniciativa que pretende criar um diálogo entre a Arte e os Negócios, a Cultura e o Turismo e trazer essa discussão para Portugal através de uma semana de talks, workshops e espetáculos por todo o país, reunindo curadores, programadores culturais e artistas vindos de várias partes do mundo. Em Óbidos acontece a 15 e 16 de Setembro.

O projeto vai continuar ativo através de uma plataforma online que vai garantir a sustentabilidade dos objetivos da iniciativa, criando redes nacionais e, ao mesmo tempo, abrindo portas para a internacionalização dos artistas portugueses.

Este diálogo mundial terá lugar em Portugal entre 14 e 21 de Setembro de 2019 e passará por Lisboa, Torres Vedras, Caldas da Rainha, Óbidos, Guimarães, Leiria, Alcobaça, Évora, Vidigueira, Loulé e Funchal. Através da plataforma – que acaba de ser lançada e que pode ser vista em www.rhi-think.com – será possível, depois de Setembro, fazer o booking de espetáculos portugueses e vai permitir já que agentes turísticos possam fazer o mesmo para os seus clientes que venham a Portugal.

A iniciativa parte de Ana Ventura Miranda, na data em que se assinalam oito anos do Arte Institute, projeto que criou para promover a cultura e arte de Portugal em Nova Iorque. “Com o Arte Institute criámos as redes mundiais que temos hoje para chegar a estes programadores e curadores, as redes de escolas e organizações mundiais para criar o programa educacional e a rede para depois internacionalizar os projetos que iremos selecionar do call for artists, lançado agora pelo RHI”, conta Ana Ventura Miranda. “Mas acima de tudo, aprendemos nestes oito anos que é possível fazer muito quando há vontade e que a sociedade civil pode e deve ter uma voz na construção do país. Esta é sem dúvida uma das premissas do RHI”, afirma a mentora do projeto.

Os curadores e programadores do RHI são nomes reconhecidos das artes em Portugal como José Luís Peixoto, Afonso Cruz, John Gonçalves, Ivo Canelas, Marta de Menezes, Paula Abreu, Pedro Varela e Nuno Bernardo, entre outros.

Segundo Ana V. Miranda os objetivos deste projeto são dar ferramentas aos artistas para que possam ter outro posicionamento na sociedade e na sua relação com o financiamento, propondo outras modalidades e modelos de negócio, criar ligações entre o turismo e a cultura, e trazer para Portugal esta aproximação ao modelo cultural americano. “É importante que Portugal comece a ser visto como um destino cultural turístico. É essencial criar redes internas no país entre artistas, produtores e agentes culturais através de uma descentralização pelo país e trazer mais programadores a Portugal para que conheçam os artistas e a cultura contemporânea portuguesa, explica Ana Miranda. “Através da plataforma online com vários projetos multidisciplinares, queremos apresentar uma montra da cultura contemporânea portuguesa, que abra também mais portas para a internacionalização”, assume a fundadora.

Programa I Óbidos I Auditório Municipal Casa da Música
15 de Setembro
· 17h00 – Colaborações entre Portugal e Tailândia
Literatura e Arte com a escritora tailandesa Prabda Yoon e cofundadora da WTF Bangkok Miss Somrak Sila
· 18h00 – Porto, NY
Este projeto visa submergir o público, além dos lugares comuns e da estética óbvia, em um ponto de encontro entre duas cidades: Porto e Nova Iorque. A imagem do cartão postal é desconstruída em benefício de uma compreensão sensorial e multitemporal de dois espaços simultâneos, como uma tentativa de desafiar o impulso da vista panorâmica, optando por leituras pluralistas em constante diálogo entre si. O título Porto, NY – código postal para um endereço imaginário – refere-se a um espaço onipresente no qual vários idiomas, geografias e símbolos são integrados em um relacionamento holístico que questiona e desvenda as nuances de ambos os locais, culminando na sua fusão e permitindo uma universalidade dos sentidos. Porto-NY, como metonímia de Portugal-EUA, é a conceção surreal de uma topografia da memória, onde as fronteiras se diluem em sensações.

A apresentação será composta por um concerto de filme, com sons e poesia pré-gravados, composição musical espontânea de Renato Diz, filme pré-editado e edição de vídeo ao vivo de Pedro Marnoto. Software criado para o espetáculo de Pedro Veloso, poesia gravada em inglês por Maria Quintanilla e assistência de filmagem por Hugo Marques.

16 de Setembro
· 11h30 – Exposição “The Wrong House Project” em Óbidos
É uma exposição interativa em que os participantes são convidados a desenhar o que eles imaginavam ser a “casa errada”. Este projeto começou em Nova Iorque em Fevereiro de 2019 e é inspirado no texto do escritor Gonçalo M. Tavares, “Sobre o erro e o risco”.

· 12h00 – Workshop de Dança com Marta Coutinho
· Uma hora para descobrir diferentes movimentos que o nosso corpo pode criar a partir de tudo um pouco: movimentos do dia-a-dia, danças do mundo, desenhos, ritmos e dinâmicas variados, objetos, histórias, ideias «espalhafatosas», gargalhadas e por aí fora…Dancemos!
· 13h00 – Almoço em Óbidos para mostrar a vila, os seus programas e espaços culturais
· 15h00 – Projeto RHI_Educação:
Leituras de textos sobre rinocerontes para alunos do ensino fundamental. Textos escritos por Afonso Cruz e José Luís Peixoto.

Cartaz
Press Release (pdf)

15sepTodo o dia16Revolution Hope ImaginationCasa da Música, Óbidos