Torre de Assalto lança as atividades do Verão em Óbidos

Entre 2 de agosto e 4 de setembro

403

As muralhas de Óbidos foram brindadas com uma torre de madeira, com 12 metros de altura, réplica de uma Torre de Cerco, pensada para a cenografia do Mercado Medieval, evento que este ano não será realizado devido à pandemia. Todavia, a presença desta torre, que funciona como um ponto de fotografia, marca o início de um conjunto de atividades que o Município de Óbidos, a Óbidos Criativa e que o grupo de empresários Segredos d’Óbidos se encontram a desenvolver para enriquecer a visita de todos os que procuram a vila como refúgio de férias de Verão.

Percursos de descoberta da Vila de Óbidos, momentos de música, teatro e recriação histórica, serão algumas das surpresas que irão acontecer entre 2 de agosto e 4 de setembro, mediante a evolução da situação epidemiológica neste concelho. Estas ações estão a ser preparadas tendo em conta as necessidades prementes de distanciamento social e higienização e serão realizadas de modo espontâneo, para evitar a concentração de pessoas, e promover uma visita em segurança.

Sobre a Torre

Esta máquina de guerra é uma construção cenográfica, réplica do período medieval do séc. XI a séc. XIII, e irá permanecer na Cerca do Castelo até ao Outono.

Uma torre de cerco é uma máquina sobre rodas desenvolvida para atacar as cidades protegidas por muralhas altas de pedra. Este aparelho era constituído por uma grande torre de madeira, coberta com couro molhado para minimizar a sua vulnerabilidade ao fogo e ao óleo quente.

Massivamente utilizada nos cercos medievais, a torre de cerco permitia a aproximação às muralhas inimigas, ao mesmo tempo que protegia os seus utilizadores dos ataques executados pelos sitiados, nomeadamente o contínuo lançamento de pedras, fogo e outros materiais a partir das muralhas e torres das fortalezas.