Censos 2021: Óbidos é um dos três concelhos do distrito que ganha população

Resultados Preliminares

1592

Dos 16 concelhos do distrito de Leiria que ganharam população na última década, os únicos são Óbidos, Leiria e Marinha Grande, segundo os Resultados Preliminares* dos Censos 2021, divulgados no passado dia 28 de Julho pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Óbidos e Leiria registaram um aumento de 1,4%, passando para 11.940 e 128.640 habitantes, respetivamente, enquanto a Marinha Grande, com 0,9% de crescimento, tem agora 39.033 residentes.

Todos os restantes concelhos do distrito de Leiria perderam população, destacando-se, em termos percentuais, Castanheira de Pera (-17%). Este concelho, o de menor dimensão do distrito, passou de 3.191 residentes, em 2011, para os atuais 2.647 habitantes.

Globalmente, o distrito de Leiria viu diminuída nos últimos 10 anos a população, que era de 470.922 pessoas em 2011. A diminuição, de 2,6%, traduz-se em 12.243 habitantes, pelo que tem agora 458.679 residentes: 219.639 homens e 239.040 mulheres.

Fazem parte deste distrito Alcobaça, Alvaiázere, Ansião, Batalha, Bombarral, Caldas da Rainha, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Leiria, Marinha Grande, Nazaré, Óbidos, Pedrógão Grande, Peniche, Pombal e Porto de Mós.

O INE divulgou os Resultados Preliminares do XVI Recenseamento Geral da População e VI Recenseamento Geral da Habitação – Censos 2021, menos de 4 meses após o momento censitário, dando cumprimento à estratégia de difusão prevista no Programa de Ação para os Censos 2021.

Os Resultados Preliminares dos Censos 2021 revelam que a população total residente em Portugal é de 10.347.892, 4.917.794 homens (48%) e 5.430.098 mulheres (52%). Menos 214.286 do que em 2011.

Na última década Portugal regista um decréscimo populacional de 2,0% e acentua o padrão de litoralização e concentração da população junto da Capital. O Algarve e a Área Metropolitana de Lisboa são as únicas regiões que registam um crescimento da população, sendo o Alentejo aquela que regista o decréscimo mais expressivo.

Portugal registou um ligeiro crescimento do número de edifícios e de alojamentos destinados à habitação, embora num ritmo bastante inferior ao verificado em décadas anteriores.

Os primeiros resultados dos Censos 2021 têm um carácter preliminar, na medida em que são baseados em contagens resultantes do processo de recolha (edifícios, alojamentos, agregados e indivíduos) e divulgados antes do processo final de tratamento e validação da informação recolhida, os quais fornecendo facilidade e rapidez no acesso destinam-se essencialmente a antecipar as necessidades dos utilizadores.

Os Resultados Preliminares estão disponíveis até ao nível geográfico de freguesia e acessíveis na Plataforma de Divulgação dos Censos 2021 – Resultados Preliminares, disponível em censos.ine.pt.

*Os resultados definitivos dos Censos 2021 só devem ser conhecidos no quarto trimestre de 2022, aponta o INE, adiantando que haverá uma sessão intermédia de apresentação de mais resultados provisórios em fevereiro.