OesteCIM e NOVA IMS anunciam parceria para Projeto de Cidades Inteligentes

Anunciado no Smart City Expo World Congress, em Barcelona

62

A NOVA Information Management School (NOVA IMS), da Universidade Nova de Lisboa, anunciou, no passado dia 26 de Novembro, uma parceria com a Comunidade Intermunicipal do Oeste (CIM Oeste) para fazer desta região uma região inteligente e climaticamente neutra, ao abrigo da ‘Missão Cidades Inteligentes e Climaticamente Neutras’, num projeto que conta igualmente com o apoio da Deloitte.

Este anúncio foi feito a partir do Smart City Expo World Congress, em Barcelona, onde se encontra uma missão de autarcas portugueses, com o apoio do consulado geral de Portugal em Barcelona e da AICEP, e tem como contexto maior o desafio Cidades Inteligentes e Climaticamente Neutras 2030, da Comissão Europeia.

A Missão Cidades Inteligentes e Climaticamente Neutras do Horizonte Europa pretende alcançar, até 2030, um total de 100 cidades inteligentes e com impacto neutro para o clima. O principal objetivo é garantir que essas cidades atuem como centros de experimentação e inovação para que, até 2050, todas as cidades europeias sejam climaticamente neutras.

As missões são um compromisso da União Europeia para resolver alguns dos principais problemas globais que afetam a sociedade. Cada uma das cinco missões terá um horizonte temporal e um orçamento adaptados ao desafio a que se propõem de forma a despoletar inovação orientada para a solução, com o envolvimento de to-dos os atores.

De acordo com Pedro Folgado, presidente da Câmara de Alenquer e presidente da Comunidade Intermunicipal do Oeste, “a intenção de fazer do Oeste uma região inteligente e climaticamente neutra ao abrigo do programa do Horizonte Europa. O desafio passa por termos 100 cidades ou clusters regionais que cumpram esta ambição até 2030, sendo as mesmas financiadas para esse fim, e a Comunidade Intermunicipal do Oeste quer entrar neste mapa, agregando todo o conjunto de 12 municípios que constituem a Oeste CIM como uma única região. É um desafio que visa responder a preocupações de desenvolvimento e de sustentabilidade, de forma enquadrada”.

“Viemos a Barcelona conhecer as melhores práticas das cidades e regiões que à escala global lideram esta verdadeira revolução. O que está aqui em causa, mais do que o acesso a um quadro de subsídios, é a integração de princípios de governação do território e das cidades e vilas, que querem ser partes ativas neste processo, criando e gerindo os seus próprios de sistemas de planeamento e gestão, dentro do contexto da analítica urbana, que tira partido dos mais recentes desenvolvimentos no campo da cidadania participada, dos dados abertos, da inteligência artificial, da computação móvel ou da Internet das Coisas”, defende Miguel de Castro Neto, Subdiretor na NOVA IMS e Coordenador do NOVA Cidade – Urban Analytics Lab.

O que é a CIM Oeste?
A Comunidade Intermunicipal do Oeste (CIM Oeste) é uma entidade pública, de natureza associativa, que tem como principais objetivos defender os seus interesses e fomentar o desenvolvimento dos 12 municípios da região, a saber Alcobaça, Alenquer, Arruda dos Vinhos, Bombarral, Cadaval, Caldas da Rainha, Lourinhã, Nazaré, Óbidos, Peniche, Sobral de Monte Agraço e Torres Vedras. A CIM Oeste tem como principais preocupações temas como a qualidade de vida, a geração de valor económico, a integração de dados, o apoio à decisão autárquica, o ecossistema regional, e a sustentabilidade e resiliência desta região.

O que é uma ‘Smart Region’?
‘Smart Region’ é um termo utilizado para descrever regiões que possuem um planeamento sustentável e que promovem o desenvolvimento com base no conhecimento, obtido através da integração e interação entre diferentes agentes do meio, desde sensores até instituições e cidadãos. As ‘Smart Regions’ têm como objetivo incrementar a eficiência e eficácia (operacional, económica, social, etc.) na gestão e funcionamento das regiões, com recurso a tecnologia e à sua interoperabilidade. No seu estágio de desenvolvimento mais avançado, as ‘Smart Regions’ devem ter capacidade de prever e antecipar possíveis constrangimentos associados ao funcionamento da região.

O que são iniciativas Smart?
As iniciativas Smart são geralmente utilizadas para identificar e descrever ações ou planos promovidos a nível central e municipal, com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento de uma ‘Smart Region’. As iniciativas Smart podem ser mais ou menos complexas, dependendo do nível de maturidade da região em causa, e devem promover o seu desenvolvimento sustentável através das dimensões anteriormente apresentadas (mobilidade, economia, proteção civil e segurança, energia e ambiente, vida e bem-estar e governo e participação).