“Há guerra na Amoreira!?” no Dia Mundial do Teatro

27 de Março

382

No dia 27 de Março, foi apresentado o espectáculo de teatro “Há guerra na Amoreira?!”, no Centro Social Cultural e Recreativo da Amoreira, pelo Grupo de Teatro Animais de Palco. Esta estreia, no Dia Mundial do Teatro, foi o mote para este grupo de teatro amador apresentar à comunidade o trabalho que vêm desenvolvendo.

Os actores Carina Rodrigues, Fernando Leitão, Jorge Leitão Gomes, Ricardo Leandro e Vítor Barão, sob a Encenação de José Ramalho, interpretaram esta peça perante uma plateia de cerca de 80 pessoas com entusiasmo e agrado.

Quando um casal de pais decide visitar o filho na guerra, mantendo os rituais familiares dos encontros de Domingo, para realizar o piquenique habitual, muita coisa pode suceder, até provocar o fim da guerra.

Este acto desconcertante no teatro de guerra, inusitado, vai ser o território adequado para colocar a nú a bizarria da guerra, no decorrer dos prazeres da comida, feita com amor e carinho de mãe.

A desfaçatez do conflito numa sociedade contemporânea vive-se de ambos os lados. Este soldado tem o seu congénere do outro lado da trincheira, com os mesmos conflitos, numa presença solitária, inquietante, levados para o teatro da guerra, sem qualquer motivação, interrompendo à força as suas vivências com os seus, recrutados por generais, embora de campos opostos, com os mesmos argumentos, a mesma personagem com figurinos diferentes.

O enfermeiro procura os mortos e feridos que justificam a sua função. Mas estes soldados, abandonados à sua sorte, não conseguem cumprir nenhum destes requisitos. Atiram simplesmente para a frente, sem convicção e muitos menos com a certeza de acertarem no alvo.

A presença dos pais, perante a captura do inimigo, essa entidade beligerante comum a ambos os lados, numa conversa dinâmica com os dois soldados, faces da mesma moeda, identificando as fragilidades das razões dessa guerra provoca a consciência da bizarria da mesma, promovendo o seu fim, terminando com um baile desafiante arrastando a plateia para a comemoração da Paz.

Este espectáculo insere-se no projecto de Formação que o Município de Óbidos desenvolve com os grupos de Teatro amador do concelho, numa política de animação teatral, visando a sua capacitação e estimulando a dinâmica de cada grupo.