Óbidos é campeão da reciclagem pelo segundo ano consecutivo

Cada habitante do concelho depositou 103 quilos de resíduos recicláveis

383

Óbidos é, pelo segundo ano consecutivo, o “campeão” da reciclagem na região Oeste e zona de Lisboa. Durante o ano de 2021, Óbidos registou uma média de 103 quilos de recolha seletiva por habitante, mais 6 quilos do que no ano anterior, mais que dobrando a meta estipulada pela Valorsul para 2020, que se situava nos 51 quilos por habitante. Em média, e de acordo com os dados fornecidos pela Valorsul, os 19 concelhos que compõem este sistema intermunicipal, situou-se numa média de 55 quilos de recolha seletiva por habitante.

Óbidos é, por isso, o concelho da área de abrangência da Valorsul que mais contribui, por habitante, para a recolha seletiva, situação que já tinha acontecido em 2020. De 2016 a 2019, Óbidos esteve sempre em segundo lugar nesta lista, ultrapassado apenas pelo concelho de Lisboa. Nos anos de 2020 e 2021 foi o concelho que mais reciclou, por habitante, na região.

Ainda de acordo com os dados da Valorsul, cada habitante do concelho de Óbidos depositou nos ecopontos, no ano de 2021, 36 quilos de vidro, 30 quilos de papel/cartão e 36 quilos de embalagens.

Em comunicado, a Valorsul, que faz o tratamento e valorização dos resíduos urbanos de 19 municípios da zona de Lisboa e região Oeste, diz que alcançou, em termos gerais, o melhor ano de sempre na reciclagem, tendo registado uma subida de 9.900 toneladas de materiais recicláveis, comparativamente a 2020.

Em 2021 foram valorizadas nos Centros de Triagem da Valorsul, mais de 95 mil toneladas de embalagens de vidro, papel/cartão, assim como de plástico/metal. A separação de plástico e metal apresentou o maior crescimento (14%), em relação ao ano anterior, seguida pelo papel/cartão com 12% e pelo vidro com mais 9%.

A Valorsul terminou 2021, com uma capitação anual de 55 kg de resíduos de embalagens separados por habitante, e conjuntamente com os seus 19 municípios, continua a superar as metas nacionais.

A meta de deposição aterro situava-se nos 10% dos resíduos recebidos para tratamento e a Valorsul depositou apenas 2% da totalidade dos resíduos que entraram nas suas instalações. Sendo esta uma opção de fim de linha na gestão de resíduos, a Valorsul, integrando a responsabilidade ambiental na sua atividade diária, continua empenhada em minimizar esta deposição. Esta significativa redução de colocação de resíduos em aterro é de extrema importância para o cumprimento da meta de redução da deposição de resíduos biodegradáveis em aterro.

Quanto a energia, em 2021, as exportações para a rede elétrica nacional foram cerca de 350 milhões de KWh, um acréscimo de 19% face a 2020. O maior contributo foi da Central de Valorização Energética que exportou para a rede elétrica nacional cerca de 327 milhões de KWh. Esta instalação da Valorsul, que já completou 27 anos de laboração, tem uma expressão significativa na valorização energética dos resíduos no nosso País.

Óbidos – Recolha seletiva (kg por habitante – dados Valorsul)
• 2016 – 74 kg (2.º lugar)
• 2017 – 78 kg (2.º lugar)
• 2018 – 82 kg (2.º lugar)
• 2019 – 91 kg (2.º lugar)
• 2020 – 97 kg (1.º lugar)
• 2021 – 103 kg (1.º Lugar)

Lista (Valorsul – pdf)