Todo o Terreno: Baja do Oeste volta a ter dimensão internacional

Concelho de Óbidos é um dos locais por onde a prova passa

380

A Escuderia Castelo Branco prepara-se para organizar a segunda edição da Baja Oeste, a mais recente prova – foi criada em 2021 – pontuável para as principais competições de TT em Portugal e a nível internacional. Entre os dias 6 e 8 de Maio, à elite nacional da modalidade juntam-se pilotos que ambicionam grandes conquistas na Taça do Mundo e no Campeonato da Europa de Bajas FIM, para discutirem os melhores lugares desta prova que anima as pistas da região Oeste, nomeadamente nos concelhos de Alenquer, Azambuja, Bombarral, Óbidos, Sobral de Monte Agraço e Torres Vedras.

“A Baja Oeste foi marcante logo na primeira edição. Conseguimos criar uma prova que atraiu, desde logo, muitos pilotos e o público. Acreditamos que a maioria ficou bastante satisfeita com a prova que teve pela frente. Com a experiência ganha, trabalhámos em conjunto com os municípios da região para melhorar o evento e torná-lo numa referência da modalidade em Portugal e não só”, afirmou o diretor de prova dos automóveis, Nuno Almeida Santos.

“Sentimos que as características do terreno são diferenciadoras e que poderemos fazer desta prova uma grande jornada de TT. O desafio que abraçámos em 2021 foi grande mas toda a equipa tem feito um trabalho excepcional e os comentários positivos e a forte adesão do público na primeira edição serviram de estímulo para continuarmos a melhorar a Baja do Oeste”, afirmou o diretor de prova das motos, Sérgio Sequeira.

Depois da primeira edição, que foi um grande sucesso com particular destaque para a forte adesão do público, a Escuderia Castelo Branco aposta na consolidação da Baja Oeste como uma prova única no calendário do TT em Portugal. Para tal, a organização preparou um percurso diferente, essencialmente rápido, com várias zonas técnicas. Os concorrentes vão encontrar muitos estradões com piso duro e áreas de piso mais macio, em especial nos setores mais lentos. Pela frente, motos, quads e SSV vão competir ao longo de quase 380 quilómetros, divididos entre prólogo e três setores seletivos, enquanto os automóveis vão correr contra o cronómetro em 310 quilómetros, distribuídos pelo prólogo e dois setores seletivos.

À semelhança do que aconteceu em 2021, a edição deste ano volta a contar com uma lista de inscritos com os principais nomes da modalidade em Portugal e inúmeros pilotos provenientes do estrangeiro.

As zonas de espetáculo aqui.