José Pinho foi um marco para o projeto Óbidos Vila Literária

Nota de pesar pelo falecimento de José Pinho

342

José Pinho foi um marco para Óbidos. Foi um dos fundadores da Óbidos Vila Literária, arriscou construir uma rede de livrarias numa vila histórica e, acima de tudo, lutou por uma democratização da Literatura e da Cultura em Portugal. Um dos grandes exemplos foi a entrega que José Pinho sempre colocou nos Fólios que ajudou Óbidos a organizar.

Óbidos deve muito a José Pinho. O País deve muito a José Pinho. A Cultura vai sentir a falta, o engenho e a sabedoria de José Pinho. O Município de Óbidos lamenta o falecimento deste homem de Cultura e endereça as mais sentidas condolências à família e amigos enlutados.

Recorde-se que José Pinho foi homenageado no passado dia 8 de Maio, pela Câmara Municipal de Lisboa, com a Medalha Municipal de Mérito Cultural, por ser considerado “uma personalidade ímpar da cidade”. Filipe Daniel, presidente da Câmara Municipal de Óbidos, e Margarida Reis, vereadora da Cultura, estiveram presentes nesta cerimónia de homenagem.

Uma semana depois, recebeu, pelas mãos do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o grau de comendador da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada.

O Município de Óbidos também entregou a Medalha de Mérito Municipal a José Pinho, na festa de encerramento do Festival Literário Internacional de Óbidos, na edição de 2019.

Para além de editor e livreiro, José Pinho que co-fundou a “Ler Devagar” foi, igualmente, responsável por vários festivais literários de dimensão e abrangência nacional: FOLIO – Festival Literário Internacional de Óbidos, Festival Latitudes – Literatura e Viajantes (Óbidos) e pelo Festival Lisboa Cinco L.